Tesla quer vender carro e elétrico e o painel solar para recarregar (Foto: REUTERS/Sam Mircovich)
A fabricante de veículos movidos a eletricidade Tesla Motors divulgou na quarta-feira (3) prejuízo no trimestre encerrado em junho maior que o esperado devido a gastos mais altos nas fábricas de baterias e automóveis, enquanto a empresa planeja acelerar a abertura de lojas em todo o mundo.
O 13º prejuízo trimestral consecutivo da montadora do Vale do Silício ressalta os obstáculos financeiros que a empresa enfrenta, enquanto assume metas cada vez mais ambiciosas – aumentar a produção de veículos 10 vezes em três anos e o recente plano para adquirir a empresa de painel solar SolarCity.
A Tesla, liderada pelo empresário Elon Musk, disse que está no caminho para entregar cerca de 50 mil novos veículos modelo S e Modelo X na segunda metade do ano, e reiterou que pretende investir US 2,25 bilhões em 2016 para preparar o lançamento do sedan Model 3.

Elon Musk, CEO da Tesla (Foto: REUTERS/Bobby Yip)
A empresa relatou no mês passado que não alcançou a meta de entrega de veículo pelo segundo trimestre consecutivo, levantando dúvidas se atingirá sua meta anual de 80 mil unidades, ante 50,5 mil em 2015.
O prejuízo no segundo trimestre subiu 60%, em relação ao mesmo período do ano passado, para US$ 293 milhões.

Foram produzidos 18.345 veículos, mas a produção só engrenou no final do trimestre, então apenas 14,4 mil unidades chegaram às mãos de consumidores.

“Basicamente, vivemos um ‘inferno’ na produção nos primeiros seis meses do ano”, afirmou Elon Musk, em conferência com analistas, segundo a Associated Press.
Um dos problemas está relacionado aos fornecedores de peças complexas como as portas que abrem para cima do Model X.

Em 13 anos, a Tesla reportou lucros em apenas um trimestre, de 2013, de acordo com a AP.
.

Fonte: G1