A receita das empresas do setor de energia elétrica cresceu 11,9% em 2015, na comparação com o ano anterior, segundo levantamento da provedora de informações financeiras Economatica. O total das vendas das 24 empresas com ações negociadas na bolsa de valores de São Paulo somou R$ 186,3 bilhões contra R$ 166,5 bilhões de 2014.
Por outro lado, a dívida total bruta do setor atingiu R$ 147,4 bilhões no fechamento de 2015, o maior valor desde 2009.

Em 6 anos, a dívida do setor aumentou 85,6%. Na comparação com 2014 (R$ 129,8 bilhões), o endividamento das empresas so setor cresceu 13,5%.

A Eletrobras é a empresa com o maior estoque de dívida do setor com R$ 48,2 bilhões, ou 32,7% do total do setor, o que representa crescimento de 15,8% com relação ao ano de 2014. A Cemig tem 10,28% do estoque de dívida do setor.

Dívida das empresas de energia cresce 13,5% em 2015 (Foto: Reprodução/Economatica)ReceitaA Eletrobras foi a empresa com maior volume de vendas no ano passado, com receita de R$ 32,5 bilhões, o que representa 17,5% do total registrado pelo setor. A Cemig com 11,4% é a segunda da amostra.

Das 24 empresas da amostra, 4 tiveram queda no faturamento: Cesp, Eneva, Geração Paranapanema e Ceee-GT (Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica, do RS).Prejuízos em 2015O setor elétrico, entretanto, registrou prejuízo líquido no ano passado.

A soma dos resultados das 24 empresas totalizaram uma perda líquida total de de R$ 2,22 bilhões. Em 2014, as companhias tinham registrado um lucro líquido de R$ 9,56 bilhões.

Somente a Eletrobras registrou em 2015 um prejuízo de R$ 14,44 bilhões – o maior prejuízo da história das empresas de capital aberto do setor e o décimo maior da história das empresas de capital aberto brasileiras, segundo a Economatica.
A Cemig, mesmo com a queda de lucro em 2015 de 20,6% com relação a 2014, é a empresa com o melhor resultado em 2015 com R$ 2,49 bilhões.

Da amostra doze empresas tiveram crescimento de lucro em 2015 com relação a 2014.Valor de mercadoEm valor de mercado, o valor das empresas na bolsa fechou dezembro de 2015, com R$ 117,8 bilhões.

Entre 2011 e 2016 houve queda de R$ 48 bilhões ou recuo de 26,8%. Em 2016 o setor registra R$ 131,4 bilhões, crescimento de 11,6% com relação a dezembro de 2015.

A Tractebel é atualmente a empresa com maior valor de mercado do setor, com R$ 23,8 bilhões em 12 de abril 2016.
.

Fonte: G1