Desconto é estratégia para atrair clientes de ‘última hora’ para o Dia das Mães (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
Oferecer descontos e promoções para atrair clientes é a estratégia de muitas lojas do Centro Comercial de Macapá neste sábado (7). A ideia é conseguir garantir a compra de última hora para o Dia das Mães, celebrado no domingo (8), já que o movimento não foi tão bom nas últimas semanas. A data é considerada a segunda mais rentável do ano para os lojistas.

O local onde trabalha o vendedor Alan Jorge Mendes, de 24 anos, decidiu baixar os preços e expor os descontos com cartazes decorativos para conseguir se destacar da concorrência. Vanderlina Vidal saiu de Santana para buscar preçosmais ‘em conta’ (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
“Uma das formas de chamar os clientes que nós adotamos esse ano foi colocar descontos de 10% a 70%.

Nessa crise que a gente está, temos que chamar os clientes, porque se não tem novidades, ninguém se interessa”, argumenta o vendedor.
Com experiência de quatro anos de vendas no Centro de Macapá, Mendes acredita que as compras estão melhores que em 2015.

“Tem muitas pessoas procurando calçados com preços bons. Nossa expectativa era de mais movimento.

Mas comparado ao ano passado está bem melhor, nada que chegue às vendas dos outros anos quando a gente vendia bem mais”, acrescentou o vendedor.
Os clientes que andam de um lado para o outro estão em busca do preço “mais em conta”, como afirma a pensionista Vanderlina Vidal, de 73 anos.

Ela foi ao comércio na manhã deste sábado para comprar presentes a fim de ficar mais bonita para comemorar a data ao lado dos oito filhos. A idosa também foi atrás de lembranças para as amigas.

Dilma de Deus achou comércio tranquilo paracomprar presentes (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
“Eu vim de Santana em busca de preços mais em conta de presentes pra mim e para minhas amigas. Aqui a gente tem que andar de loja em loja pra encontrar produtos bons com preços mais razoáveis.

Já comprei uma sapatilha legal para mim”, comentou Vanderlina.
A liquidação de até 70% e facilidade de pagamento chamou a atenção da professora socióloga Dilma de Deus, de 42 anos, para comprar os presentes da mãe e da sogra.

“Já vim focada em comprar sapatos como presentes para minha mãe e para minha sogra. Eu acho que está bom.

Tem muitas promoções, inclusive pela crise, não está um ‘sufoco’ de gente aqui e está mais tranquilo de escolher um presente”, avaliou Dilma.
Os vendedores não perdem o otimismo das compras de última hora.

Entre os presentes mais procurados estão itens de vestuário, perfumes, além de calçados e bolsas, segundo uma pesquisa de intenção de compras feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo no Amapá (Fecomércio/AP). O levantamento apontou ainda que o valor médio dos presentes de Dia das Mães em 2016 é de R$ 133.

Algumas lojas alteraram horário de funcionamento durante a semana e o fim de semana, para tentar atender o máximo de clientes, inclusive abrindo as portas até mesmo no feriado.
.