O premiê da Austrália, Malcolm Turnbull, durante sua cerimônia de posse (Foto: Lukas Coch / Pool / via AP Photo)
O primeiro-ministro da Austrália, Malcolm Turnbull, aparece no “Panama Papers”, informa nesta quinta-feira (12) a imprensa australiana.
Turnbull, ex-banqueiro e advogado multimilionário, foi presidente de uma empresa sediada nas Ilhas Virgens inscrita como Star Technology Services Limited na década de 90, através do escritório panamenho de advocacia Mossack Fonseca.
O vínculo foi revelado pelo jornal econômico “Australian Financial Review”, poucos dias após a publicação de documentos do escândalo conhecido como “Panama Papers”, com informações sobre mais de 200 mil empresas offshore, muitas baseadas em paraísos fiscais.

O uso de empresas, fundações e do envio de dinheiro ao exterior nem sempre é ilegal, e Turnbull afirma que não cometeu qualquer crime.
“A única coisa que posso dizer é que, como revela o artigo, não há qualquer indício de falta minha”, disse Turnbull a jornalistas em Melbourne, onde realiza campanha visando às eleições de 2 de julho.

“Não há nada de novo. As empresas citadas eram subsidiárias de propriedade exclusiva de uma companhia registrada de maneira pública na Austrália”.

Perguntado se a empresa pagou impostos na Austrália, Turnbull disse que “se tivesse tido lucro, o que lamentavelmente não ocorreu, é claro que teria pago impostos na Austrália”.
.

Fonte: G1