Lembra quando os usuários de iPhone queriam um celular gigante? A Apple entregou isso com o iPhone 6 Plus. E agora está fazendo o mesmo com o iPhone SE, que tem apelo junto a um público pequeno de usuários que não querem aparelhos maiores. “Foi meio que uma surpresa quando a Apple disse que ainda há demanda por um aparelho menor de quatro polegadas”, afirmou o diretor de pesquisas da Gartner, Brian Blau, que compareceu ao evento da Apple nesta segunda-feira, 21/3.

O novo iPhone SE só parece existir como um serviço aos usuários que não abrem mão do conforto de ter um aparelho do mesmo tamanho dos seus já antigos iPhone 5 ou 5S, ou como uma alternativa um pouco mais em conta para quem faz questão de ter um iPhone.
E, realmente, existe uma grande demanda.

Segundo a MixPanel, cerca de 18% dos usuários de iPhone ainda usam um iPhone 5S de quatro polegadas, lançado há três anos. Na verdade, até o anúncio do iPhone SE, a Apple ainda vendia o iPhone 5S.

Mas esse aparelho está começando a envelhecer, e a empresa está fazendo o que pode para atualizar seus usuários. A novidade também permite que a Apple tenha a opção de cortar o suporte para o iPhone 5S na próxima grande revisão do iOS sem deixar de fora os usuários de aparelhos de quatro polegadas.

A vantagem do iPhone SE são os seus componentes premium, que devem ser um grande incentivo para os usuearios iOS com aparelhos mais antigos. Com o novo smartphone, eles recebem a câmera e o processador mais novos da Apple, e finalmente podem usar o Apple Pay.

Pelo lado do Android, não há tantos usuários pedindo um smartphone tão pequeno – é uma minoria. Existem muitos dados que mostram que celulares maiores vendem.

Analistas da Statista apontam que serão vendidos 146 milhões de smartphones com telas maiores do que 5 polegadas em 2016, número ainda maior após o “boom” do ano passado. E isso sem contar as centenas de milhões de smartphones com telas entre 4,7 polegadas e 5 polegadas.

Quem quiser um celular menor pode escolher entre aparelhos da Motorola e da OnePlus, dois celulares sólidos e que custam bem menos do que o iPhone SE.
As vendas de aparelhos Android estão crescendo nos mercados emergentes, e isso pode ser atribuído a duas coisas: eles são baratos e são enormes.

Parece que todos os novos smartphones Android possuem telas de 5 polegadas ou maiores hoje em dia.
E, apesar de receber muitas mensagens de leitores perguntando onde podem comprar um aparelho top de linha e tamanho menor, não sugeriria que eles trocassem de ecossistema por conta do novo iPhone SE.

E isso não é por eu estar preocupada com a participação de mercado do Android.
Ainda é muito caro
Não há como negar que a existência do iPhone SE é ótima para os fãs da Apple.

“Se você pensa em entrar para o iOS, agora há uma maior variedade de aparelhos para você escolher”, afirmou Blau. “Ao adicionar mais esse modelo com componentes melhores em uma tela menor, a Apple amplia sua linha de produtos para lugares onde eles nunca estiveram antes.


Mas há um problema: o iPhone SE ainda é muito caro para muita gente, e deve ficar com um preço ainda mais salgado fora dos EUA, como bem sabemos aqui no Brasil. O modelo de 16GB saírá por 400 dólares nos EUA, enquanto que a versão de 64GB vai custar 100 dólares a mais.

Isso é muito dinheiro para um aparelho tão pequeno, e mesmo quando a Apple teve um iPhone mais barato – com o 5C – mal fez cócegas nos números do Android no mercado.
Um tema recorrente do ano passado no mercado Android foram os smartphones premium por 400 dólares, incluindo aparelhos como o Moto X Pure Edition, Nexus 6P, HTC One A9.

Ou seja, não é preciso gastar mais de 400 dólares para ter um ótimo e moderno aparelho Android, e as pessoas mais cuidadosas com dinheiro podem desembolsar bem menos do que isso.
A guerra é igual para todos
Fã de aparelhos Android, você não tem nada com que se preocupar com a participação do sistema do Google no mercado.

O iPhone SE existe apenas para ajudar a saciar aqueles mais aficionados pela Apple que não querem um aparelho maior. Também é importante lembrar que estamos entrando em uma era de estagnação do mercado de smartphones, o que significa que as empresas vão achar qualquer desculpa para lançar um novo aparelhos.

“As vendas de smartphones eventualmente vão cair. Vamos começar a ver uma suavizada.

Apple e Google terão de trabalhar mais..

.a concorrência vai ficar mais pesada”, afirma Blau.

Ou seja, a batalha pelo seu bolso apenas ficará mais intensa. “Consigo ver os ecossistemas da Apple e do Android ficando mais agressivos e indo um atrás do outro, especialmente à medida que as taxas de penetração de smartphones ficam maiores no mundo todo”, afirma o analista.

“Vamos começar a ver essas empresas competirem mais fortemente em termos de inovação.” Mas colocar os recursos do iPhone 6S no corpo do iPhone 5S não é muito inovador.

.

Fonte: Computer World