Organizações humanitárias internacionais lançaram uma missão que pode ser cumprida por qualquer pessoa com um smartphone: mapear comunidades em regiões remotas do planeta afetadas por desastres naturais, surtos de doenças ou guerras.  
A tarefa pode ser feita pelo aplicativo recém-lançado MapSwipe, que traz mapas de lugares isolados atendidos por organizações como Médicos sem Fronteiras e Cruz Vermelha.
Funciona assim: o usuário escolhe uma região e vai navegando pelos quadros com imagens de satélite da área, assinalando aqueles onde há sinais de presença humana, como casas e estradas.

Essas informações são fornecidas a cartógrafos, que as utilizam para montar mapas detalhados. De posse desses mapas, as organizações podem saber onde há assentamentos de pessoas durante campanhas de ajuda humanitária e vacinação, por exemplo.

A ideia é acelerar o processo de mapeamento por satélite, já que atualmente esses profissionais precisam passar dias percorrendo milhares de imagens de florestas e matagais inabitados procurando comunidades que precisem de mapeamento. Estima-se que centenas de milhões de pessoas vivem em comunidades que não estão nos mapas.

No aplicativo MapSwipe, o usuário marca a região onde podem ser vistas casas e estradas (Foto: Reprodução/MapSwipe)
Muitas das primeiras missões do MapSwipe são na Nigéria, onde acaba de ser constatada uma grande crise humanitária em áreas recentemente retomadas do Boko Haram.
O aplicativo faz parte do Missing Maps, um projeto de colaboração aberta criado pela Cruz Vermelha americana, pela Cruz Vermelha britânica, pela Humanitarian OSM Team (HOT) e pelos Médicos Sem Fronteira.

Desde o lançamento, no último dia 15, mais de 4 mil pessoas se cadastraram e uma missão foi completada.
O objetivo é que o processo seja “tão divertido e viciante quanto um aplicativo de encontros”, afirmam os idealizadores.

O MapSwipe – que está em inglês, mas não exige muita leitura para ser usado –, está disponível para download grátis nos sistemas Android e iOS (veja o link).
.

Fonte: G1 Tecnologia