Uber não informa taxa da Prefeitura (Foto: Paula Paiva Paulo/G1)
O Uber obteve nesta terça-feira (19) seu credenciamento na Prefeitura de São Paulo, mas no primeiro dia não seguiu à risca as regras do decreto publicado pela administração municipal em maio, feito para regulamentar serviços de transporte individual por aplicativo.
O G1 testou o serviço e constatou que, em duas viagens realizadas, a especificação dos itens do preço total pago informado no recibo eletrônico não trazia os R$ 0,10 cobrados pela Prefeitura por km das empresas cadastradas. Foram informados outros aspectos da viagem: preço base, distância e tempo.

A empresa afirma que esse valor será incorporado apenas na quarta-feira (20), quando também passará a ser informado no recibo. A administração municipal disse, porém, que todas as regras valiam a partir de terça-feira (19), quando o cadastro da Uber foi publicado em Diário Oficial.

A outorga de R$ 0,10 é uma espécie de taxa usada pela Prefeitura para permitir o uso do viário da cidade. O valor poderá variar, segundo a administração, com o objetivo de não afetar o serviço de táxi.

A cidade tem mais de 30 mil taxistas hoje. 
A descriminação de todos os valores previstos no preço é um dos requisitos básicos impostos pela Prefeitura em seu decreto nº 56.

981 de 2016. São outras obrigações a utilização de mapas digitais para acompanhamento do trajeto e do tráfego em tempo real, avaliação da qualidade do serviço pelos usuários e disponibilização  eletrônica ao usuário da identificação do  motorista.

A identificação deve ter foto, modelo e número da placa.Marronzinhos fiscalizam estacionamento em fila dupla no aeroporto de Congonhas (Foto: G1)
.

Fonte: G1 Tecnologia