De acordo com Rajesh Ramanathan, responsável pela pesquisa da Universidade RMIT, na Austrália, com a ajuda de nanoestruturas especiais instaladas diretamente no tecido, é possível degradar a matéria orgânica, como sujeira, pó e suor, quando expostos a uma fonte de luz.Entenda o processo. As nanoestruturas são feitas de cobre e prata.Esses metais absorvem a luz e esquentam quando recebem iluminação. O aumento de temperatura acelera o processo de degradação do material orgânico e, nessas condições, o tecido consegue se auto limpar em menos de seis minutos.

Com mais algumas melhorias, os pesquisadores acreditam que será possível produzir esses nano-tecidos em escala industrial. “Nosso próximo passo é testar o tecido com compostos orgânicos que poderiam ser mais relevantes para os consumidores, para ver como ele lida com manchas comuns, como o molho de tomate ou de vinho”, afirma Ramanathan.