Em 2016, a Eletronic Arts finalmente resolveu apresentar uma novidade verdadeira ao gênero de games de futebol, que há anos esperava por algo que fosse realmente inédito. A principal atração de “Fifa 17” é “A jornada”, modo história que dá ao jogador a possibilidade de controlar a carreira de um jovem e promissor aleta na liga inglesa. Assista ao trailer no vídeo acima.

Em um evento da Warner Games, distribuidora da EA no Brasil, o G1 testou um demo do novo modo, que contava com a apresentação de Alex Hunter, e jogou algumas partidas.
Além de experimentar o carro chefe dessa nova edição, conseguimos  experimentar as novidades prometidas pela desenvolvedora dentro de campo, como a nova engine e a inteligência artificial dos jogadores.

“Fifa 17” será lançado no dia 27 de setembro para PCs, Xbox 360 e One, e Playstation 3 e 4 — “A jornada”, no entanto, estará disponível apenas para computadores e consoles da atual geração.JornadaA demo é curta, mas deu para ver como funcionará algumas das principais funcionalidades, ao longo dos momentos pré-partida, durante uma partida e na relação com a imprensa.

A mais útil delas é o acompanhamento em tempo real da performance de Alex Hunter dentro das quatro linhas.
No canto superior direito, o jogador pode acompanhar a nota dada à sua atuação, que aumenta ou diminui com cada jogada.

Isso até já existia anteriormente, mas agora o display também indica exatamente o que foi responsável pela mudança, como passes corretos, jogadas geniais ou erros desastrosos.
O modo ainda oferece a possibilidade de controlar todo o time ou apenas o seu jogador — Hunter, no caso.

Jogar com toda a equipe pode facilitar no momento de favorecer seu atleta, mas focar apenas em um aumenta muito a imersão.
Ainda é necessário pedir a bola, buscar o jogo e marcar, mas é interessante acompanhar a partida enquanto Hunter está no banco.

Além de ver os gols do ponto da beira do gramado, o jogador também acompanha algumas reações do técnico (o português José Mourinho, no caso do Manchester United, time disponível na demonstração), momentos antes de ser chamado para a ação.No novo ‘Fifa 17’, será possível responder a entrevistas no modo ‘A jornada’ (Foto: Divulgação/EA)
O game continua mesmo fora dos gramados.

Antes da partida, por exemplo, o jogador deve escolher entre opções de diálogo com um de seus companheiros. A EA afirma que cada uma dela influenciará na carreira, por isso é necessário escolher com cuidado.

No meu caso, o outro atacante pareceu não curtir muito meu pedido para que ele marcasse um por mim.
Hunter também deve enfrentar a imprensa após a partida.

Após cada pergunta, três opções de respostas eram oferecidas. Por causa do barulho no local, não consegui ouvir exatamente as questões, que poderiam dar pistas sobre o que cada uma queria dizer, mas elas pareciam muito genéricas para prever exatamente como seria a reação.

Após a escolha, o game indica se técnico, companheiros ou torcida reagirão de forma positiva ou negativa.Quatro pilaresNesta nova edição, a EA promete quatro grandes novidades no sistema de jogo, que aproveitam a nova engine, Frostbite, usada na franquia “Battlefield”.

Técnicos do campeonato inglês de futebol, como Pepe Guardiola, Arsène Wenger e Jürgen Klopp, estarão em ‘Fifa 17’ (Foto: Reprodução)
Nas duas partidas que joguei (uma derrota por 2 a 1 e um empate em 1 a 1 nos acréscimos), infelizmente não pude testar as novas jogadas ensaiadas, mas é possível afirmar que a inteligência artificial dos jogadores sem bola aumentou bastante. Sei que isso é algo que falamos a cada nova edição, mas não leva muito tempo para notar que seu posicionamento está muito melhor, e cada um busca o jogo de forma muito mais tática e realista.

A melhora no combate corpo a corpo e nas técnicas de ataque são sutis, mas também estão lá. Talvez sejam necessárias mais algumas partidas para ter noção real da diferença, mas as mudanças são bem vindas.

O jogo, no entanto, parece se esforçar para atrair jogadores um pouco mais casuais, e com isso pode desagradar um pouco os fãs de longa data da série. Duas novidades evidenciam estratégias que antes aconteciam sem marcadores, como um balão que aparece sobre o atleta selecionado sempre que o botão de pressão, que pede o apoio de um segundo homem na defesa, é apertado.

Se isso não fosse o bastante, o novo sistema de escanteio e de cobrança de faltas longas força o jogador a escolher a área para qual jogará a bola controlando uma pequena esfera no gramado. Ainda é necessário acertar a força do chute, mas a opção parece uma regressão em uma funcionalidade que estava funcionando bem há tempos.

Vídeo de ‘Fifa 17’ mostra o jogador James Rodríguez, do Real Madrid, entrando em campo (Foto: Reprodução/YouTube/EA SPORTS FIFA)
.

Fonte: G1 Tecnologia