Um grupo de hackers colocou à venda na internet cerca de 33 milhões de logins e senhas de acesso à rede social Twitter, que não confirma o vazamento, embora tenha divulgado comunicado sugerindo que os usuários troquem suas senhas.

O vazamento foi divulgado na quarta-feira (8). As senhas estariam sendo negociadas na chamada “dark web” por 10 bitcoins (cerca de US$ 5.775), de acordo com o site da “Forbes”. A dark web é uma parte da internet não detectada por buscadores como o Google por não ter links direcionados a ela.

Em nota, o Twitter disse estar “confiante” de que as informações não foram obtidas por meio da ação de hackers juntos aos servidores da rede social.

A empresa diz que os dados podem ter sido obtidos por meio de outros vazamentos recentes, por malwares ou máquinas que estão roubando senhas. “Independentemente da origem, estamos agindo rapidamente para proteger sua conta no Twitter”, afirma.

O Twitter diz ter cruzado dados e notificado usuários cujas contas precisariam de proteção extra. Além disso, a empresa afirma que bloqueou o acesso de algumas pessoas e exigiu que elas trocassem a senha.

O caso vem a público dias após notícias de que os perfis do presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, e da cantora Katy Perry no Twitter foram invadidos. A conta de Zuckerberg no Pinterest também foi comprometida.

No domingo, o Twitter de Zuckerberg, @finkd, utilizado pela última vez em janeiro de 2012, publicou a mensagem “Hey, @finkd, você estava na base de dados do LinkedIn com a senha ‘dadada’! DM (mande uma mensagem direta) para ter uma prova”. A informação se baseia em uma captura de tela divulgada no Twitter por Ben Hall (@Ben_Hall), fundador da Katacoda, plataforma de aprendizado interativo para desenvolvedores de softwares.

Recentemente, logins e senhas do Linkedin e do Myspace também vazaram.

Como proteger a conta

O Twitter sugere que o usuário habilite a verificação de login para autenticação.
Além disso, indica uso de senhas fortes e que não sejam utilizadas em outros sites ou redes sociais.

Há também a possibilidade de recorrer a gerenciadores de senhas como o 1Password ou o LastPass para garantir que você esteja usando senhas fortes e únicas.

FolhaPress