Menos de 18 horas antes de uma audiência, o FBI agora está dizendo que não precisa mais da ajuda da Apple para desbloquear o iPhone 5C do suspeito de terrorismo Syed Rizwan Farook. Por isso, nessa segunda-feira, 21/3, a audiência foi cancelada.
“No domingo, 20 de março de 2016, terceiros demonstraram ao FBI um possível método para desbloquear o iPhone de Farook”, afirmou o Departamento de Justiça em um documento judicial.

“São necessários testes para determinar se o método é viável e não irá comprometer os dados do iPhone de Farook. Caso o método seja viável, deve acabar com a necessidade de auxílio da Apple neste caso como previsto no All Writs Act Order.


Com isso, a decisão de 16 de fevereiro, quando a Justiça dos EUA determinou que a Apple deveria auxiliar o FBI a hackear o iPhone do suspeito, foi mantida, aguardando mais pedidos no caso.
Mas isso não quer dizer que a história esteja encerrada.

A manutenção da decisão também dá ao governo dos EUA um prazo até 5 de abril para “dar entrada em um relatório de status”.
Caso o FBI consiga acessar o iPhone de Farook sem destruir seus dados, o governo americano deve deixar o caso de lado.

É claro que, caso o FBI consiga acessar o iPhone de Farook, então a Apple terá de responder algumas questões. Como exatamente o FBI conseguiu acessar o iPhone? “Isso foi algo muito inesperado da parte deles”, afirmaram os advogados da Apple – a empresa diz que não tinha ideia que o FBI ainda estava tentando quebrar a criptografia do smartphone por conta própria.

.

Fonte: Computer World