Desde que foi lançado, o Moto G foi a preferência nacional. Com um preço acessível e qualidade acima da média, ele rapidamente caiu no gosto do povo. No entanto, as suas novas versões ficaram mais caras, e a concorrência também começou a melhorar nesta área, tornando a competição bem mais interessante.

Um exemplo da mudança que houve nesta faixa de preço é o Galaxy J5, um intermediário da Samsung. A empresa nos últimos anos se notabilizou por excelentes smartphones de alto desempenho (e preço) e por deixar a desejar nos segmentos mais baratos. O J5 é um exemplo de que as coisas estão mudando.

Mas no fim das contas, qual dos dois é o melhor? Galaxy J5 ou Moto G de 3ª geração? É o que vamos ver.

Desempenho

20150910042149

Os dois aparelhos têm componentes internos parecidos. Em ambos os casos, a aposta foi no Snapdragon 410, da Qualcomm, um processador mediano que é praticamente um padrão entre aparelhos nesta faixa de preço. Isso faz com que eles sejam muito parecidos no critério de desempenho.

Há um porém. O Galaxy J5 conta com 1,5 GB de memória RAM, o que pode ser uma vantagem ou desvantagem em comparação com o Moto G, que tem opções de 1 GB e 2 GB de memória RAM. No entanto, um pouco desta possível vantagem se esvai quando lembramos que estamos falando da Samsung e da TouchWiz, que é notavelmente mais pesada do que o Android puro do Moto G.

No fim das contas, os benchmarks mostram uma vantagem pequena do aparelho da Motorola contra o da Samsung. São 23 mil pontos no AnTuTu contra 21 mil do Galaxy J5. Não é uma diferença grande, mas é uma diferença, então vitória do Moto G. No entanto, deve ser ressaltado que a duração da bateria do J5 é excelente, melhor do que a do aparelho da Motorola.

Software20160205062535

Nós já falamos um pouco sobre software no quesito “Desempenho”, e só vamos reafirmar a posição aqui. O Android puro da Motorola permite que o mesmo hardware presente nos dois tenha um desempenho melhor em um aparelho do que no outro.

Temos ressaltado no Olhar Digital nos últimos tempos que a Samsung tem feito um esforço para melhorar a TouchWiz, notável principalmente nos aparelhos mais caros da empresa. Infelizmente, a nova política de software ainda não desceu totalmente para a camada mais acessível dos aparelhos da empresa.

E há ainda o detalhe que o Moto G 2015 já recebeu o Android Marshmallow (6.0), o que não se pode dizer do Galaxy J5, ainda no Android Lollipop (5.1).

No fim das contas, o Moto G sai vencedor.

Câmera20160205062149

É onde a família J (incluindo o J5 e o J7) se destaca. O smartphone da Samsung tem uma das melhores câmeras nesta faixa de preço. Claro que não é perfeita, já que para o modelo ficar em um valor amigável, alguns sacrifícios têm que ser feitos.

A câmera do Galaxy J5 conta com 13 megapixels, mas conta com um diferencial que é a abertura de lente f/1.8, que é enorme para padrões de celular, e faz com que os sensores recebam muita luz, tornando-a melhor para ambientes mal iluminados, além de permitir que a lente registre as imagens com maior rapidez. Já a câmera frontal de 5 megapixels não teria nada de muito especial, tirando o fato de o aparelho contar com um flash frontal.

Já o Moto G também tem uma câmera boa para sua faixa de preço, mas não chega a igualar o aparelho da Samsung. O sensor traseiro também tem 13 megapixels, mas sua abertura é de f/2.0, menor que a da Samsung. A câmera frontal de 5 megapixels também é similar, mas não existe o flash frontal. Vitória do Galaxy J5.

Tela20160205062719

A disputa pode ser próxima em tamanho de tela e resolução, já que as duas telas são HD (1280×720) de 5 polegadas, resultando na mesma densidade de pixels, mas há uma diferença. A tecnologia empregada na tela de ambos os aparelhos é diferente.

Já ressaltamos nestes comparativos: AMOLED, usado na tela do Galaxy J5, é uma tecnologia que traz resultados melhores que o LCD, do Moto G, principalmente na fidelidade da cor preta. Além disso, ela permite uma economia de energia já que pixels inativos não são ativados de forma desnecessária, poupando bateria. Vitória da Samsung.

Preço

O preço de ambos é muito parecido. Com uma pesquisa rápida, encontramos os dois basicamente na mesma faixa de preço de R$ 900 à vista. Isso significa que temos um empate em preço.

Conclusão

Esta decisão pede um empate. Cada um dos aparelhos ganhou dois dos critérios que avaliamos, e o preço é basicamente o mesmo, anulando o que normalmente é o nosso item de desempate.

Entretanto, não é recomendável ficar em cima do muro, portanto iremos considerar o Moto G a opção superior. Por quê? O design do aparelho é consideravelmente mais refinado do que o do Galaxy J5, que tem a aparência padrão de um celular da Samsung.

Dito isso, fazemos a ressalva de sempre: existem diferentes perfis de consumidor. Se você valoriza mais a câmera e uma tela mais vistosa, o J5 também tem seu charme.