Um italiano pediu ao CEO da Apple, Tim Cook, autorização para que seja desbloqueado o iPhone de seu filho, falecido recentemente, para poder recuperar fotos e recordações.Caso seu pedido seja rejeitado, o pai assegura que pedirá ajuda aos especialistas usados pelo FBI que a Apple se negou a desbloquear o iPhone de um dos autores do atentado de San Bernardino (Califórnia).“Não me tirem a possibilidade de guardar as recordações de meu filho”, pediu em um e-mail a Tim Cook, o arquiteto Leonardo Fabbretti, cujo filho de 13 anos morreu de câncer, segundo o jornal La Repubblica.

O menino Dama, adotado na Etiópia em 2007, morreu em setembro passado, depois de várias operações e sessões de quimioterapia para lutar contra um câncer ósseo diagnosticado em 2013.“Dei para meu filho um iPhone 6 nove meses antes de sua morte, e ele o utilizava o tempo todo e queria que eu tivesse acesso”, assegura Fabbretti, acrescentando que, se preciso, contatará a companhia israelense Cellebrite, que teoricamente ajudou o FBI a desbloquear o iPhone de um dos autores do atentado de San Bernardino.

.

Fonte: Gazeta de Uberlândia