A fatia de usuários do Windows 10 saltou em janeiro, quando registrou seu segundo maior aumento em um intervalo de um mês desde o lançamento no fim de julho de 2015. As informações são da Net Applications.
Durante o primeiro mês do ano, o Windows 10 esteve em aproximadamente 196 milhões de sistemas, segundo cálculos da Computerworld dos EUA, a partir de dados da empresa de métrica, número próximo da alegação de 200 milhões de máquinas feita pela Microsoft no começo de janeiro.

O salto na porcentagem de usuários foi de 1,9 ponto percentual, atrás apenas do ganho de 4,8 pontos registrado em agosto, exatamente o primeiro mês do Windows 10 no mercado.
O crescimento do sistema em janeiro foi quase o dobro do registrado pela empresa em dezembro de 2015.

Apesar de a Net Applications não lista uma causa específica para esse aumento, uma explicação óbvia para o crescimento do Windows 10 seriam as novas máquinas compradas no final do ano passado. Esses novos PCs substituíram sistemas com Windows 7 na maior parte das vezes: a plataforma de 2009 encolheu 3,2 pontos, ficando em 52,5%, o maior declínio registrado pelo relatório com o sistema.

O Windows 10 respondeu por 11,9% de todos os sistemas de computadores pessoais e rodou em 13,1% de todos os aparelhos Windows: o segundo número é maior porque o Windows foi usado em 90,6%, e não 100%, de todos os sistema medidos pela Net Applications.
Esse crescimento do Windows 10 coloca o novo sistema um pouco à frente do ritmo que o Windows 7 exibiu após seis meses no mercado, aponta a consultoria.

Na época, o Windows 7 acumulou um total de 12,8% de todos os PCs Windows.
Com cerca de 200 milhões de PCs rodando o Windows 10, a Microsoft ainda precisa correr para alcançar seu objetivo de colocar o sistema em 1 bilhão de aparelhos até 2018.

.

Fonte: Computer World