Mobileye anunciou parceria com BMW e Intel para desenvolver carros autônomos;.(da esq para dir) Brian Krzanich, CEO da Intel, Harald Krüger, presidente da BMW, e Amnon Shashua, co-fundador da Mobileye(Foto: Divulgação BMW)
A montadora Tesla perdeu um importante fornecedor para o sistema “Autopilot”, espécie de “piloto automático” limitado, que pode controlar o carro dentro de certas regras. A empresa israelense Mobileye anunciou nesta quarta-feira (27) que preferirá focar em parcerias de desenvolvimento, como a anunciada recentemente com a BMW e a Intel, para carros autônomos.

O sistema “Autopilot” virou notícia recentemente por causa do primeiro acidente no mundo envolvendo um veículo com algum tipo de tecnologia autônoma. Um Tesla Model S bateu em um caminhão na Flórida, nos Estados Unidos, em maio passado, matando seu condutor.

A fabricante informou que, no momento da colisão, o carro estava no modo semiautônomo que permite que o automóvel mude de faixa ou altere a velocidade sozinho, sem intervenção do motorista.
Esse tipo de sistema, oferecido por outras montadoras também, opera sob certos limites: ainda não existe à venda nenhum carro completamente autônomo.

Mas o acidente fatal gerou debate sobre esse tipo de tecnologia.
Em comunicado divulgado nesta quarta, a Mobileye disse que avançar na autonomia é um paradigma tanto em termos de complexidade funcional como na necessidade de garantir um nível extremamente alto de segurança.

“Há muito em jogo, para a reputação da Mobileye e da indústria. Acreditamos que atingir esse objetivo requer parcerias que vão além do típico fornecimento (OEM), como será na nossa recentemente anunciada parceria com a BMW e a Intel”, conclui a empresa.

Não ficou claro quem encerrou a ligação entre a Mobileye e a Tesla. O presidente-executivo da montadora, Elon Musk, disse que a mudança era esperada e que não afetará os planos da companhia.

Além da Mobileye, o sistema “Autopilot” conta com peças da Bosch, que fornece os sensores.
.

Fonte: G1 Tecnologia