A desbocada Kéfera Buchmann, youtuber curitibana de 23 anos, precisou se render a uma postura mais “light” para viver sua primeira protagonista no cinema. “Fazer piadinha suja é coisa da Kéfera, não da minha fada Geraldine”, diz ao G1.
Como ela, muitos de seus colegas têm se dividido em dois (ou três, ou quatro) para ampliar seu espaço além das fronteiras da internet.

Consolidados na web, autores best-sellers e com carreiras ainda mais estruturadas, eles partem agora para o cinema, teatro e TV.
As produtoras agradecem.

“Nós trazemos público”, afirma Kéfera, que reconhece o fascínio comercial sobre sua base de mais de 8 milhões de seguidores. “Mas é do nosso interesse também esse ‘cross’.

É uma relação recíproca.”
Antes de se tornar um fenômeno da web, ela já queria ser atriz.

Começou a estudar teatro aos 15 anos para vencer a timidez e hoje vê a internet – responsável por torná-la uma celebridade – como “apenas uma porta de entrada” para que fosse vista. Agora se prepara para lançar “É Fada”, com estreia em 6 de outubro (assista ao trailer acima).

Tem ainda no currículo participações na TV, o livro “Muito mais que cinco minutos” e “Deixa eu te contar”, peça com a qual viajou pelo país ao lado da humorista Bruna Louise em 2015.
Ela acredita que a “transição” de youtubers para outros formatos é tendência, e julga-se pioneira.

“Depois que fiz meu espetáculo, os outros youtubers começaram a fazer também, foi como se eu tivesse apresentado esse universo para os meus colegas.”Pedro Afonso com bonecos do espetáculo ‘O Paraíso’ (Foto: Reprodução/Facebook/Rezendeevil)Minecraft ao vivoNa internet, o carro-chefe de Pedro Afonso Posso, o RezendeEvil, 19, são “novelinhas” baseadas em “Minecraft” (jogo de construção com blocos).

Estica aqui, puxa ali, ele conseguiu transformar a mais popular delas – que acumula mais de 140 milhões de visualizações – na peça “O Paraíso”, em turnê até o final do ano.
O espetáculo é uma espécie de continuação da série de 162 episódios exibida durante seis meses em seu canal do YouTube.

Mescla vídeos exibidos em um telão com bonecos gigantes. “Jamais imaginei fazer teatro, era só um hobbie.

Sempre penso nisso: vou poder falar para os meus filhos que eu fiz uma peça”, diz o youtuber ao G1.
A parte mais difícil, ele conta, é organizar o tempo.

O paranaense posta quatro vídeos e chega a trabalhar de 15 a 17 horas por dia no canal. Só pode viajar com a peça nos fins de semana.

“Fico noites sem dormir. Nas quintas-feiras, preciso adiantar de 12 a 16 vídeos”.

Ele também é autor de “Dois mundos, um herói” e tem sua própria coleção de camisetas.Rezende conta ter sido procurado por uma produtora interessada em levar seus vídeos para o palco.

O mesmo aconteceu com Whindersson Nunes, 21, dono do segundo maior canal do Brasil, atrás somente do Porta dos Fundos. Hoje, ele se diz satisfeito com a experiência.

Sua postura no palco, afirma, é “exatamente a mesma” que tem na internet.Whindersson Nunes se apresenta em Ji-Paraná, em Rondônia (Foto: Reprodução/Facebook/Whindersson)
Para ele, a presença de Youtubers em outros meios “é algo que vem se tornando frequente no mundo inteiro.

É uma forma de encontro com os fãs”. “Não encontrei resistência.

Somos artistas como qualquer um. A diferença é que viemos de uma geração chamada internet.


E a geração chamada internet já levou ainda outros nomes para o teatro: de grandes temporadas, como a de “Eu fico loko”, de Christian Figueiredo; a pequenos trabalhos, como o de Maju Trindade, 18, que subiu ao palco para falar sobre a própria vida no projeto “Na roda com Maju Trindade”, em junho. Lucas Rangel, 19, também viaja pelo país com “Não são só seis segundos”, em que interpreta quatro personagens.

O Youtuber Christian Figueiredo (Foto:Reprodução/Facebook/Christian Figueiredo)Loko pelas leis de incentivoJá há até quem se aventure em uma cinebiografia. Aos 22, Christian Figueiredo avalia ter história de vida suficiente para contar na telona.

No próximo dia 20, ele começa a rodar o filme “Eu fico loko”. Vai narrar como os percalços da adolescência o ajudaram a criar repertório para se tornar sucesso no YouTube.

A produção foi autorizada a captar R$ 5,3 milhões via leis de incentivo. As gravações vão até 25 de setembro e a previsão de lançamento é 29 de janeiro.

Christian tem livro publicado, loja virtual, dublou um personagem em “Kung Fu Panda 3” e comandou um quadro no “Fantástico”.PenetrasWhindersson também tem seu primeiro protagonista em vista.

Ele começa a gravar no fim do ano um longa, cujo título e enredo ainda não foram divulgados. Ao lado de Júlio Cocielo, 23, PC Siqueira, 30, Maju Trindade e Gabbie Fadel, 23, ele é ainda um dos chamarizes da sequência de “Os Penetras”, que estreia em 3 de novembro.

“O sucesso dessa galera talvez venha do fato de eles falarem o que as pessoas gostam de escutar. É um jeito tão espontâneo, tão sem censura, que eu até tomo um susto às vezes”, diz Cris D’Amato, que dirige Kéfera em “É Fada”.

Gostando ou não de escutar, é cada fez mais difícil tapar os ouvidos para eles. Veja abaixo como os youtubers não estão só no YouTube.

.

Fonte: G1 Tecnologia